O PARTIDO PELOS ANIMAIS DA HOLANDA

Por: Leonardo Bezerra

Partido pelos Animais, na Holanda, é uma dessas idéias inovadoras, o primeiro do mundo exclusivo para defender os animais. Num mundo em que animais são símbolos de riquezas transformados em produtos industriais e alimentação na maioria dos casos, defende-los a nível político e social é uma tarefa difícil, pois se por um lado há pessoas muito ligadas na ética e que não vêem os animais como coisas e sim como vidas, por outro, há a poderosa indústria, onde o dinheiro fala mais alto.


O Partido pelos Animais surgiu da iniciativa de ativistas holandeses em 2002; Marianne Thieme, atual presidente do Partido, Lieke Keller e Ton Dekker. Na verdade, a idéia inicial tinha surgido bem antes. Já em 1992, Niko Koffeman, atualmente membro do senado holandês pelo Partido para os Animais, um grande defensor dos animais desde a juventude, achava que deveria haver um partido político que defendesse promovesse especialmente os interesses dos animais. Mas, sua idéia era muito avançada para a época, e, portanto, inviável.
 

O inicio do Partido não foi fácil. Criado um pouco antes das eleições de 2003, o Partido recebeu de início críticas e até mesmo escárnio. Todos achavam estranho um Partido criado exclusivamente para defender os interesses dos animais. Mas o mundo já estava começando a mudar. A ética, os direitos humanos, o bem estar, leis contra discriminação, tudo isso não teria lógica nem sentido se os animais ficassem de fora, como se fossem objetos. Assim, por parte dessas pessoas já esclarecidas e em busca de um mundo mais justo, o Partido ganhou adeptos e uma resposta positiva que foi aumentando com o passar do tempo. 

 

Para os críticos da época, a surpresa é que mesmo recém formado e sem meios financeiros, o Partido chegou bem perto de uma conquista nas eleições de 2003. Sua vitória veio nas eleições seguintes em 2006, com a queda do governo. E a surpresa é que o Partido teve dois eleitos para o parlamento.


Em 2007, na ocasião das eleições para escolha de representantes provinciais, o Partido ganhou nove assentos em oito províncias e ainda uma conquista para o Senado holandês. Todas essas vitórias vem comprovar que o Partido tem um futuro brilhante pela frente e certamente chegará a mudar a mentalidade dos holandeses com relação aos animais e ainda influenciar outras pessoas em todo o mundo.


Objetivos


Organizado com um escritório científico o Nicolaas G. Pierson Foundation e uma organização para a juventude, o PINK, o Partido trata de criar uma sociedade que veja os animais de forma diferente, não mais como objetos, como se não fossem criaturas vivas. Através dos meios políticos, promovendo leis em defesa dos animais e conscientização das pessoas, o Partido promove o bem estar e a libertação dos animais evitando que sejam continuamente explorados e vítimas dos caprichos humanos e políticos.
 

Para todas as áreas humanas já existem partidos. Todos tratam exclusivamente do bem estar humano, passando por cima de todo o resto da natureza. Assim, destaca-se a grande importância do Partido para os Animais, o único do mundo que se dedica a essas criaturas esquecidas por milênios, sempre exploradas e vistas como meros objetos.

 

Marianne Thieme

Uma advogada e vegetariana que estudou na Faculdade de Duno em Doorwerth e depois na Sorbonne em Paris e ainda na Universidade Erasmus de Roterdã na Holanda.


Sua vivência ligada à defesa dos animais é bem antiga. Por vários anos esteve em fundações que lutam pela defesa dos animais como a Stichting Wakker Dier, uma fundação holandesa de bem estar animal e contra a agricultura industrial.
 

Em 2004 foi nomeada para se tornar líder do Partido que havia fundado em 2002 com outros colegas ativistas.

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!